domingo, agosto 22, 2004


Voce é um webdesigner?

A história diz que muitas profissões ou ciências sofreram algum tipo de preconceito. Medicina, artes cênicas, filosofia, etc… Todos elas foram julgadas no seu tempo por motivos político-sociais, religiosos, dentre outros, até que após muita luta se provou o contrário. Pois então a história está adicionando mais uma profissão para o rol das ditas "profissões que qualquer um pode seguir": a difícil missão de ser um Webdesigner.

A complicação começa quando nos deparamos com as seguintes perguntas: Quando surgiu o Webdesign? Quem é Webdesigner? O que eu preciso fazer para ser um? Quanto cobrar por um serviço?

Bem, primeiramente devo alertar: Se você pensa que ser webdesigner é apenas saber mexer mais ou menos em um editor visual de HTML e fazer um FTP, esqueça.

O Webdesign é uma profissão fantástica, mas só têm sucesso aqueles que enxergam além de seus mouses e monitores. Pena que está tão banalizada pela sociedade a ponto de não haver nenhum órgão responsável pela categoria e tampouco um registro reconhecido pelo Ministério de Trabalho para diferenciar os que realmente estudaram para isso dos famosos "sobrinhos que fazem página".

Tal como o hardware, ocorreu o mesmo comigo em reação ao webdesign. Precisei aprender muita coisa para finalmente entender que um webdesigner não é só aquele que clica na tela, puxa e estica fotos, usa um editor visual e mostra sua grande obra de arte para todos verem. Antes de tudo, AME a sua profissão como a si mesmo. (não, não se trata de nenhuma heresia bíblica.). É isso mesmo. Esta profissão requer paixão, vontade e quem tiver DOM para isso, terá percorrido um trecho a mais nesta caminhada.

Em seguida, lembre-se daquele famoso ditado: "O cliente merece respeito e sempre está com a razão".Ou quase sempre… porém se este for o caso, você terá que usar muita psicologia e jogo de cintura para mostrar um outro ponto de vista sem ferir seu orgulho ou inteligência. E o que foi citado acima é o que mais falta nos "webdesigners" da atualidade. Compromisso, respeito e responsabilidade.

Um bom webdesigner não é aquele que sabe "mexer" em todos os programas, mas sim aquele que abstrai o melhor de todos os recursos disponíveis para atingir seu objetivo, e conseqüentemente, do seu cliente. Outro alerta para quem solicita os serviços de um "webdesigner" é lembrar-se sempre de outro ditado muito popular: "O barato pode sair caro". E dependendo do caso, muito caro!

É difícil até um certo ponto dimensionar se o preço cobrado por um "profissional" está compatível com o que pode oferecer, mas existe uma grande arma para quem necessita de um parâmetro: solicitar portifólios e referências. Acredito que atualmente é a melhor maneira de conhecer a pessoa, seus trabalhos, seu estilo e até mesmo suas pretensões.

Quando me solicitam orçamentos, digo que cobro o justo. Assim mesmo, o conceito de justo é questionável. Então peço ao cliente que pesquise não só os preços, mas os profissionais que estão por trás dele. Conseqüentemente muitos deles acabam se convencendo de que o barato não é sempre sinônimo de qualidade e eficiência.

Lembre-se de que, depois da inteligência, somos dotados de outro dom divino: o livre arbítrio. Vamos utilizá-los da melhor maneira para que não soframos mais com tantas injustiças.

Errar é humano, mas "errardware" demais não.

materia de Fabiano Ferreira - superdownloads

posted by Iris • IFD @ 7:49 PM



 

Subscribe to RSS headline updates from:
Powered by FeedBurner