quinta-feira, maio 04, 2006


Marketing e Responsabilidade Social

Os consumidores estão cada vez mais exigentes. Também estão mais conscientes e seletivos. Agora querem mais do que preço, qualidade e bom atendimento. Hoje já é visível uma crescente cobrança da sociedade por atitudes mais éticas em todos os sentidos, inclusive nas práticas mercadológicas. E esta é uma tendência irreversível.

O conceito de Responsabilidade Social Empresarial começou a ser praticado no Brasil na década de 90 e sugere que as empresas devem agir de forma ética e participar ativamente do desenvolvimento das comunidades onde estão inseridas, promovendo o desenvolvimento da cidadania e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida de todas as pessoas envolvidas (stakeholders). A responsabilidade social empresarial tornou-se, comprovadamente um fator de avaliação e preferência para investidores e consumidores – um diferencial.

Segundo pesquisas do Instituto Ethos, os consumidores esperam que as empresas tenham um comportamento ético e garantam a saúde e um tratamento justo dos trabalhadores. Para 86% do grupo denominado Formadores de Opinião, as atividades de uma empresa socialmente responsável "devem ir além do que as leis exigem". Para 83% deles, "as empresas deveriam ter a responsabilidade de ajudar a reduzir a distância entre ricos e pobres". A pesquisa aponta também para a tendência, observada desde o primeiro ano de sua aplicação, de que atitudes éticas e de responsabilidade social de uma empresa estimulam o consumidor a dar preferência aos seus produtos e a recomendá-los a seus amigos.

É importante esclarecer também que responsabilidade social não são (boas) ações isoladas e nem filantropia. Neste aspecto, antes de se auto-entitular “empresa socialmente responsável”, seria de bom tom que alguns critérios fossem observados. O Instituto Ethos, principal entidade neste assunto, no Brasil, sugere que para merecer este “título” as empresas devem atender a estes sete indicadores: (1) Valores e transparência, (2) Público Interno, (3) Meio Ambiente, (4) Fornecedores, (5) Consumidores e Clientes, (6) Comunidade e (7) Governo e Sociedade.

A prática de responsabilidade social deve ainda fazer parte da missão e da filosofia de trabalhado das empresas. A partir daí sim, elas podem, e devem, utilizar estratégias de marketing e de comunicação para valorizar a sua marca através dos benefícios que estas práticas agregam.

autor: Mário Ribeiro
fonte: http://www.tanomeio.com.br

posted by Iris • IFD @ 10:29 AM

6 Comments:

Blogger Cláudia Vau said...

Em boa hora! Bem haja o autor.

6:12 PM

 
Blogger IFD said...

ah uma outra coisa q gostaria de comentar - acho q esta historia de responsabilidde social é muito importante não só para empresas mas para todo mundo - outro dia chegou uma pessoa me pedindo um site para uma instituição que cuida de crinças com aids - e eu fiz numa boa sem cobrar nada (o banner da instituição esta até aqui no meu blog) fiz de coração e o mínimo q poderia fazer era nao cobrar pelo trabalho...

entao um toque pro pessoal q esta começando na área e quer ter peças no portfolio - pq vcs iniciantes não vão até uma instituição de caridade da sua cidade ou mesmo do seu bairro e faz um site, um cartaz..oferece esues serviços gratuitamente ;) vc estará ajudando tanto a instituição como colaborando pro seu enriquecimento do de folio ;) se todos fizessem um tiquinhu pelo proximo que precisa o Brasil estaria outro..entao faça sua parte não custa nada ;)

2:15 PM

 
Blogger Cláudia Vau said...

É isso mesmo :)

10:15 PM

 
Blogger responsabilidade social consciente said...

Os dados apresentados no post são muito interessantes. Mas colocar em prática, principalmente os indicadores definidos pelo insituto ethos, é uma tarefa bastante complexa, em especial para uma empresa que não possui conhecimentos sobre o que seria realmente a responsabilidade social empresarial.

Mais do que dedicação de profissionais, fazer a RSE verdade requer interesse das empresas e, infelizmente muitas delas não o tem ou não conseguem desvicular a sua concepção de responsabilidade social a de Marketing Social.

É claro, que é melhor tomar alguma atitude do que nada fazer pela humanidade, mesmo que seja com o foco em Marketing. Mas cabe pensar até que ponto se deve utilizar a ação de RSE tomada para agregar valor à marca da empresa comprometida.

Além disso, acredito que muitas organizações ainda se mantém alheias ao envolvimento com projetos sociais ou culturais por não saberem como devem agir, onde possuem incentivos, pois com o auxílio da renúncia fiscal definida pelos governos, tanto federal quanto estadual e municipal, só não ajuda quem não quer...

A idéia de discutirmos a RSE não apenas na internet, mas em outros veículos é muito importante para que essas questões se esclareçam e novas oportunidades na RSE surjam. Nada melhor do que o debate...

Lisiane

11:45 PM

 
Blogger responsabilidade social consciente said...

Os dados apresentados no post são muito interessantes. Mas colocar em prática, principalmente os indicadores definidos pelo insituto ethos, é uma tarefa bastante complexa, em especial para uma empresa que não possui conhecimentos sobre o que seria realmente a responsabilidade social empresarial.

Mais do que dedicação de profissionais, fazer a RSE verdade requer interesse das empresas e, infelizmente muitas delas não o tem ou não conseguem desvicular a sua concepção de responsabilidade social a de Marketing Social.

É claro, que é melhor tomar alguma atitude do que nada fazer pela humanidade, mesmo que seja com o foco em Marketing. Mas cabe pensar até que ponto se deve utilizar a ação de RSE tomada para agregar valor à marca da empresa comprometida.

Além disso, acredito que muitas organizações ainda se mantém alheias ao envolvimento com projetos sociais ou culturais por não saberem como devem agir, onde possuem incentivos, pois com o auxílio da renúncia fiscal definida pelos governos, tanto federal quanto estadual e municipal, só não ajuda quem não quer...

A idéia de discutirmos a RSE não apenas na internet, mas em outros veículos é muito importante para que essas questões se esclareçam e novas oportunidades na RSE surjam. Nada melhor do que o debate...

Lisiane

11:47 PM

 
Blogger Yasmin said...

Não há como negar que a Responsabilidade Social hoje já faz parte da realidade das empresas. Mas infelizmente ainda é necessário que se melhore muito para que as ações empresariais sejam realmente eficazes e éticas. As empresas ainda se preocupam mais com a imagem positiva e repercussão que suas ações possam gerar que com fazer o melhor a seu alcance, o mais necessario para aqeula comunidade em que atua. Mas esta questão é muito pouco regulamentada, e a instituição de critérios norteadores para as empresas exercerem responsabilidade social, e principalmente regulamentação para sua divulgação se fazem essenciais no cenário atual. Que as pessoas fiquem cientes das ações exercidas pelas empresas é realmente necessário, mas utilizar isto como marketing e atrelar as ações sociais as vendas não é correto. A empresa vende um produto/serviço e desenvolve uma ação social, são coisas separadas e devem ser tratadas como tal.

5:46 PM

 

Postar um comentário

<< Home



 

Subscribe to RSS headline updates from:
Powered by FeedBurner