quarta-feira, maio 31, 2006


Uma segunda chance no Dia dos Namorados

No mês de maio, dois acontecimentos movimentaram o varejo: em menor escala, foi o mês das noivas, em que salões de embelezamento, costureiros, decoradores e lojas com lista de noivas fazem sua festa particular. Em muito maior escala, veio o Dia das Mães, data de vendas tão significativas para o varejo que só perde mesmo para as compras de Natal, embora esteja sendo seguida cada vez mais de perto pela movimentação do comércio do Dia dos Namorados.

O Dia dos Namorados, ou em inglês, Valentine´s Day (Dia de São Valentim), é comemorado na Europa e nos EUA em 14 de fevereiro. Conta-se que no Império Romano, durante o reinado do Imperador Claudius II, Roma estava envolvida em diversas batalhas. Claudius enfrentava então grandes dificuldades para recrutar novos soldados para as suas legiões, pois os homens não queriam abandonar as suas namoradas, esposas e amantes. Diante disso, o imperador Claudius proibiu os casamentos em Roma. Então, Valentim, o bispo de Terni, desobedeceu às ordens do Imperador, passando a celebrar secretamente o casamento de todos quantos o desejassem. Valentim foi decapitado, justamente em um 14 de fevereiro.

No Brasil, o Dia dos Namorados é comemorado em 12 de junho, um dia antes da data em que é celebrado o dia de Santo Antônio, padroeiro dos casamentos e namoros. Com a internacionalização e instantaneidade das informações, é natural que pouco a pouco pelo menos parte do mercado consumidor, exposto a essa internacionalização, passe a comemorar o Dia dos Namorados duas vezes por ano, aumentando o potencial de vendas para esse mercado.

Culturalmente o dia 12 de junho é o esperado e festejado, mas existe uma brecha, na medida em que os consumidores passarem a ser bombardeados por mídias estrangeiras (sites de busca, sites de cartões virtuais, portais de relacionamento, revistas importadas), essa bolha de consumo no varejo pode ser replicada em fevereiro, justamente um período de baixa no varejo urbano (ainda não é Volta às Aulas, e parte do target das principais cidades está no litoral).

Assim, há uma oportunidade de mercado para que os varejistas tradicionalmente afins com o Dia dos Namorados (floriculturas, lojas de eletroeletrônicos, butiques, lojas de departamentos e importados) passem a anunciar uma segunda vez, na lógica de um Amor de Verão, Quem Merece Ganha em Dobro, ou “Um é Pouco, Dois é Bom”. Aí já é tarefa dos redatores publicitários. O importante é: chame cada dia com seu nome tradicional: 12 de junho, Namorados e, 14 de fevereiro, Valentine´s.

autor: Paulo Ricardo Meira
fonte: http://www.adonline.com.br

posted by Iris • IFD @ 9:27 PM



 

Subscribe to RSS headline updates from:
Powered by FeedBurner